segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Chegando aos 40

 
 
Não ter saudade
é incomum no homem
de meia idade
 
pois vem,outra metade
da vida, sem alarde 

16 comentários:

  1. de verdade em verdade
    o homem se torna
    só saudade

    q bonito Cristiano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato, minha cara! Muitíssimo obrigado pela gentileza de seu comentário!!!

      Excluir
  2. Limerique

    Quando o homem chega aos quarenta
    Olhar para trás quase sempre tenta
    Contudo agora sente
    Que tudo está à frente
    A meta então é chegar aos oitenta.

    ResponderExcluir
  3. Limerique

    Quarenta uma idade que encanta
    E vitalidade nunca se viu tanta
    Mas daqui prá frente
    A coisa é diferente
    Cabelos caem e o pau não levanta.

    ResponderExcluir
  4. Limerique

    Pois bem, meu cabelo branco atesta
    Nos quarenta anos vou fazer festa
    Vou aproveitar bem
    Assim como convém
    Porque sei que pouca vida me resta.

    ResponderExcluir
  5. Limerique

    Com quarenta somos homens complexos
    Em todas as coisas procuramos nexo
    Mas nos preocupamos
    Pois passou os anos
    Que éramos campeões de fazer sexo.

    ResponderExcluir
  6. Limerique

    Quarenta anos é idade do metal
    Prata na cabeça e prótese dental
    No bolso muito ouro
    Mas sem qualquer desdouro
    É ferro na bunda e chumbo no pau.

    ResponderExcluir
  7. Limerique

    Um homem de quarenta também sonha
    E isso, as vezes, lhe traz vergonha
    Pois já não é potente
    Mas quer comer gente
    Então se muda em mordedor de fronha.

    ResponderExcluir
  8. Cristiano, querido amigo, virá muito mais de quarenta anos, com certeza!
    Hoje eu vim lhe dizer que indiquei o seu blog para o Selo Literário 2103.
    Você merece!!! Passe no meu blog e pegue o seu! Feliz final de semana, beijos!!

    ResponderExcluir
  9. Sem alarde a outra metade com mais sucesso e prosperidade.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  10. Sem alarde, mas com esperanças renovadas. Abraços!

    ResponderExcluir

Nuvens é um belíssimo livros escrito por Anoldo Pimentel, poeta carioca que nos encanta com seus escritos no blog Haikai nos ventos. Para adquirí-lo mande um email para arnoldopimentel@gmail.com

Prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins

CASTANHA MECÂNICA

Castanha Mecânica é um projeto que visa à livre distribuição e divulgação da poesia através da organização dos poemas em forma de e-book. Toda e qualquer reprodução, parcial ou integral das obras que aqui se encontram são autorizadas pelos autores, desde que a autoria seja devidamente atribuída.

Buscando outro caminho fora do mercado editorial, e, a descobertas de novos nomes da poesia, nos disponibilizamos a uma “prestação editorial” que culmina em livros virtuais que podem ser baixados diretamente do nosso acervo.
Ocorreu um erro neste gadget