sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Reveillon

Já é janeiro
e jaz, há pouco tempo
um ano inteiro

Eis outra temporada.
Muda-se quase nada!



19 comentários:

  1. Limerique

    Mais um início de nova jornada
    Difícil enfrentar essa parada
    Mas há esperança
    De haver mudança
    Ou talvez não mude mesmo nada.

    ResponderExcluir
  2. Limerique

    Então agora é um novo ano
    Talvez melhor salvo algum engano
    Se for pelo menos igual
    Não será de todo mau
    E no que passou baixamos o pano.

    ResponderExcluir
  3. Seu ultimo verso me lembrou um livro de Agatha Christie: Cai o pano!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou fã da Agatha e me inspirei no citado livro dela para compor o último verso. Você acertou na mosca! Merece até outro limerique.

      Excluir
    2. Limerique

      Após o derradeiro dia do ano
      Este não pode mais nos causar dano
      Satisfeito aconselho:
      Vade retro, ano velho!
      Nos seus males vamos baixar o pano.

      Excluir
  4. E com o nascer do ano, chegam as chuvas e os mesmos descasos.

    ResponderExcluir
  5. Para ganhar um Ano Novo
    que mereça este nome,
    você, meu caro, tem de merecê-lo(...)

    Drummond

    ResponderExcluir
  6. professor cristiano,
    poeta! que surpresa. que barato.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Amei a construção do tanka,
    principalmente a primeira
    parte, genial!
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Muda-se um pouco aqui, outro pouco ali é o que espero.
    Triste e genial verdade, Cristiano.

    Um bom final de semana.

    ResponderExcluir

Nuvens é um belíssimo livros escrito por Anoldo Pimentel, poeta carioca que nos encanta com seus escritos no blog Haikai nos ventos. Para adquirí-lo mande um email para arnoldopimentel@gmail.com

Prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins

CASTANHA MECÂNICA

Castanha Mecânica é um projeto que visa à livre distribuição e divulgação da poesia através da organização dos poemas em forma de e-book. Toda e qualquer reprodução, parcial ou integral das obras que aqui se encontram são autorizadas pelos autores, desde que a autoria seja devidamente atribuída.

Buscando outro caminho fora do mercado editorial, e, a descobertas de novos nomes da poesia, nos disponibilizamos a uma “prestação editorial” que culmina em livros virtuais que podem ser baixados diretamente do nosso acervo.
Ocorreu um erro neste gadget