sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

88.Feliz Natal

Pré-existência

Bem no princípio
É, Foi, Será o Verbo
Homem mais ímpio.

Herodes

Muitos vão morrer
Ele, o Rei dos Judeus
não há de nascer.


Gabriel

Salve Maria!
Mãe deste que salvará
a todos, um dia


Manjedoura

Glória! Ouçam bem:
o filho do Carpinteiro
Nasceu em Belém


25 de dezembro

Prece divinal
Eis o Filho do homem
Chegou o Natal!

Prece final

Pelo Seu amor
Saúde e muita paz,
sou grato, Senhor!

8 comentários:

  1. Isso é fatal
    Com ELE não se brinca
    Então feliz Natal!

    ResponderExcluir
  2. Olha só! Mesmo não sendo cristão, acho bom quem procura dar um significado ao natal longe do tramites comerciais de dezembro. Boa, Cristiano.

    ResponderExcluir
  3. É preciso acreditar num novo dia...
    Então, feliz natal!

    ResponderExcluir
  4. Vêm a cair muito bem estes teus haicais natalinos!

    ResponderExcluir
  5. Sua bem vinda contribuição foi justamente postada no Fama inFame, com as devidas referências.
    Obrigado!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Nada como a singeleza de um haicai para expressar os sentimentos desta época festiva do ano que é o Natal! Aproveitando o ensejo, um Feliz Natal e um 2012 de muita saúde paz e literatura!
    Um grande abraço!
    Wesley

    ResponderExcluir
  7. E o verbo se fez
    O rei nasceu
    de Maria e José
    e renasceu.
    Agora se chama Esperança

    Feliz Natal e Próspero Ano Novo

    ResponderExcluir

Nuvens é um belíssimo livros escrito por Anoldo Pimentel, poeta carioca que nos encanta com seus escritos no blog Haikai nos ventos. Para adquirí-lo mande um email para arnoldopimentel@gmail.com

Prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins

CASTANHA MECÂNICA

Castanha Mecânica é um projeto que visa à livre distribuição e divulgação da poesia através da organização dos poemas em forma de e-book. Toda e qualquer reprodução, parcial ou integral das obras que aqui se encontram são autorizadas pelos autores, desde que a autoria seja devidamente atribuída.

Buscando outro caminho fora do mercado editorial, e, a descobertas de novos nomes da poesia, nos disponibilizamos a uma “prestação editorial” que culmina em livros virtuais que podem ser baixados diretamente do nosso acervo.
Ocorreu um erro neste gadget